CONTEXTUALIZAÇÃO

Com o intuito de aumentar a eficiência energética em caminhões, surge o E-REX, a implementação de um eixo propulsor auxiliar elétrico com recuperação de energia em frenagens no semirreboque.

Transporte Rodoviário de Cargas

Contextualizando o projeto, atualmente o Brasil possui o maior índice de transporte de carga através do sistema rodoviário no mundo, o que representa 61% da matriz de transporte de carga no país, e logo em seguida temos a União Europeia que utiliza 50% do transporte carga via modal rodoviário.

Rotas do transporte rodoviário de cargas no Brasil

Como o brasil é um grande exportador de grãos e outras commodities, o fluxo de transporte de carga rodoviária escoa desde o interior do país até o litoral com seus portos e do litoral para o interior com função de abastecimento do país com insumos. Isso implica em subidas e descidas de serras com elevado delta de altitude. E através de uma análise topográfica com o uso da ferramenta Google Maps, foi possível obter dados da altitude da Rota da Soja como podemos ver aqui.

Estudo de caso | Caminhoneiro Autônomo

Nos desafiamos a realizar a comparação entre os principais trechos de fluxo de caminhões do Brasil, comparando os trajetos SP-BH, através da Rodovia Fernão Dias (BR-381) que possui uma singela variação de altitude em comparação ao trecho da Serra do Mar, e através da Rodovia Anchieta (SP-150) que possui a maior variação de altitude. Observamos uma diferença de 44% entre os trechos estudados, com grande diferença de altitude. Para o estudo de caso, selecionamos o mesmo veículo para aquisição de dados, padronizamos a medida Carga Bruta e através de uma pesquisa realizada com proprietário de um Caminhão Scania modelo R420 2006, obtivemos informações como: Velocidade Média, Marcha em Execução e Consumo de Combustível em km/L. Quando o veículo está imposto a situações de aclives, há um aumento de 53% no consumo de combustível por KM rodado.